Bolinha, Paula dos Anjos, João Eloy, Márcia de Oliveira, Dito Twist, Benedito Valeriano, Roberto Lucialdo, Flor Morena, Os 5 Morenos, Brasil Pistão e Maria Mendes. Essas são apenas algumas personalidades do mundo da música mato-grossense que prestigiaram, hoje (27.11) pela manhã, a abertura da Semana do Músico, exposição iconográfica realizada pelo Governo do Estado através da Superintendência de Arquivo Público de Mato Grosso. A superintendência ligada a Secretaria de Estado de Administração (SAD) homenageia, até a próxima sexta-feira (30.11), mais de 40 músicos que de alguma forma contribuíram para a história da música em Mato Grosso.

O superintendente do Arquivo Público, José Roberto Stopa, a superintendente da Imprensa Oficial do Estado (Iomat), Regina Márcia Carvalho de Figueiredo, o presidente da Ordem dos Músicos do Brasil em Mato Grosso, Luiz Carlos de Araújo Coutinho e os músicos Guapo e Abel Santos Filho participaram da cerimônia de abertura do evento, que começou às 9 horas. A chefe de gabinete interina da SAD, Vanessa Karla de Oliveira, participou da homenagem representando o secretário de Administração, Geraldo de Vitto Jr.

Na abertura, o músico Abel Santos Filho tocou o Hino Nacional numa viola de cocho. Em seguida, Stopa falou sobre a honra de poder homenagear os músicos. “Eu me sinto lisonjeado por estar no meio de pessoas tão importantes para a história da nossa música. Posso garantir que sou um grande apaixonado pela nossa música regional”.

Segundo o superintendente, o Arquivo deve ser visto como ‘um arsenal de informações’, e aproveitou para fazer um apelo. “Eu gostaria que todos aqueles que pudessem contribuir com doações de objetos, documentos e imagens, originais ou cópias, referentes a história da música em MT o fizessem, para que o Arquivo possa levantar o acervo da música no estado e posteriormente disponibilizá-lo para a população”.

Stopa informou que o Arquivo tem um acervo de oito milhões de documentos, sendo que os mais antigos datam de 1702. “Muitos documentos são originais e muitos são reproduções, documentos que são emprestados à superintendência pelos seus proprietários e depois devolvidos. E esse é o nosso objetivo: preservar a história de Mato Grosso”.

Logo depois foi exibido um vídeo institucional contando a história do ‘Projeto Ciranda’. No filme o coordenador do projeto, Leandro Rodrigues Carvalho, disse que “o Projeto Ciranda começou como um sonho que se tornou realidade. E o sucesso que alcançamos se deve, além do talento desses jovens, as parcerias realizadas entre os governos da esfera municipal, estadual e federal e empresários, que acreditaram no projeto”.

Em seguida, a Orquestra de Sopro tocou um pout-pourri do músico nordestino Luiz Gonzaga e a música Czardas, de Vittorio Monti. A platéia, formada na sua maioria por músicos, se emocionou e aplaudiu de pé a apresentação da Orquestra. “É bom ver que existem pessoas jovens que ainda se interessam pela boa música”, declarou o presidente da Ordem dos Músicos, Luiz Carlos Coutinho.

Luiz disse logo após a performance da Orquestra que o Governo do Estado está de parabéns pela iniciativa. “É bom ver que o Governo Estadual se preocupa com a memória de nosso estado. E esse evento é prova viva disso”. Seu colega de ofício e professor de Música da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Abel Santos Filho, falou sobre a importância da música na vida das pessoas e leu trechos de seu livro ‘Uma Melodia Histórica – Eco Cocho Cocho-viola Viola de cocho’.

O músico Guapo reiterou o que o superintendente do Arquivo Público havia falado e pediu novamente aos colegas que ajudem o Arquivo com doações, para que “o Arquivo possa manter, através desses documentos e objetos a história musical de MT”. Depois foi a vez da Banda de Música do Liceu Salesiano São Gonçalo encantar o público com um pout-pourri do cantor Tim Maia. O regente Paulinho encerrou a apresentação da banda convidando o músico Roberto Lucialdo para interpretar a canção ‘Oh Leverger’. O dueto foi aplaudido fervorosamente pelos presentes.

O encerramento foi realizado pela chefe de gabinete da SAD, Vanessa Karla de Oliveira. “O Governo do Estado sempre enfatizou a importância de preservar nossa história, pois acredita que a história é como a identidade de um povo. E agora eu peço licença para plagiar o secretário De Vitto, que sempre diz, com muita propriedade, que um povo sem história é um povo sem memória”.

Fonte: O Documento

Músicos prestigiam exposição sobre a história da música em MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*