Prédio atual do Arquivo Público Estadual

A partir da próxima semana, começa a ser escrito um novo capítulo na história do Arquivo Público Estadual. O órgão vai descer a Cidade Alta e mudar de sede. As instalações atuais são de 1926. O prédio será restaurado e transformado no Memorial das Etnias.

Na terça-feira (15), os setores administrativo e técnico deixam de funcionar na Rua Pedro Palácios, n.º 76, Cidade Alta, e passa a atender na Rua Sete de Setembro, no antigo prédio da Escelsa, ao lado do Palácio da Fonte Grande, no Centro de Vitória.

Segundo o Diretor Técnico do arquivo, Cilmar Franceschetto, havia a necessidade de uma sede mais espaçosa para suportar e organizar todo o acervo, além de oferecer melhores condições de trabalho. “Lutamos há mais de 10 anos por esta mudança. Além de um espaço mais amplo, o local vai oferecer uma segurança maior e melhores condições de trabalho e atendimento ao público.

Nova sede do Arquivo Público Estadual

No primeiro momento a mudança será parcial pois o novo prédio sofrerá uma reforma ainda neste ano. A construção em que o Arquivo Público funciona atualmente é de 1926. O prédio será restaurado e transformado no Memorial das Etnias.

Salas de exposições, projeções de filmes e acesso ao acervo virtual vão constituir as instalações do memorial. O projeto de restauro já está no Ministério da Cultura esperando aprovação.

Centenário

Em 2008, o Arquivo Público Estadual completa 100 anos. Para comemorar o centenário, uma série de ações será realizada no decorrer do ano, lançamentos de projetos e reestruturação do site do órgão são algumas.

Três já acontecem no final de janeiro. As duas primeiras serão a reestruturação da página do Arquivo (www.ape.es.gov.br) e o lançamento do site imigrantes (www.imigrantes.es.gov.br). A última será a inclusão da listagem de índios e negros que ajudaram na formação do povo capixaba.

As demais ações são a a digitalização dos documentos sobre as etnias capixabas, o projeto ‘Memórias Reveladas” com documentos sobre a ditadura, uma parceria com o Arquivo Nacional e ajuda aos municípios para criação de arquivos municipais por meio do programa ‘Arquivo Itinerante’.

O Arquivo Público do Estado faz aniversário no dia 18 de julho.

Fonte: A Gazeta

Arquivo Público do ES muda de sede

Uma ideia sobre “Arquivo Público do ES muda de sede

  • 14/01/2008 em 03:41
    Permalink

    Gostaria de Parabenizar o Governo pela nova sede.E dizer que apesar de ser de Florianópolis, vivo aqui no ES há mais de 36 anos, cheguei aqui aos cinco anos de idade e faço parte de um pouco dessa história. Por exemplo tenho um fato interessante sobre a Caravela ES- a única que realmente participou das comemorações dos 500 anos do Brasil, e ela foi idealizada por um capixaba, considerado um sonhador e desacretidado por muitos,inclusive perseguido, e o homen simples do povo que acreditou nesse sonho e resolveu construir a famosa Caravela do ES ,o sr "ZÈ DA ADEGA", a minha parte nessa história começa quando na hora do projeto ser realizado precisou de dinheiro,então meu cunhado Nilton Coutinho Filho (o idealizador desse projeto) pediu ajuda para a família, nessa é poca eu trabalhava o dia inteiro em uma peixaria aqui na Praia do Suá, depois de muitas discussões,ficou resolvido que haveria visita na obra,então criou-se um livro de assinatura dos Amigos da Caravela, aí vc visitava a obra,assinava o livro e contibuia comprando a camiseta da Caravela ES-Festa dos 500 anos, (detalhe ela levou exato 9 meses de gestação para sair do papel e ir para o mar,e foi) participou de todas as comemorações das festividades dos 500 anos do Brasil, meu pai um senhor mestre (hoje em dia aposentado e sequelado após um avc,porque é hipertenso e fuma demais) esqueci de dizer que sou agente comunitária de saúde, e por isso enquanto conto a história relato com a saúde…. o sr. Lauro Justiniano foi mais um aventureiro nessa viajem,mas navegou maravilhosamente e levou os tripulantes e convidados com total segurança e trouxe de volta ao ES.Tenho algumas fotos de máquina analógica desta viajem ,pois um grande amigo que embarcou nessa viajem me presenteou com muitas fotos, aí foi feito um livro que foi escrito por Regina Manardi, a única mulher , relatora ,a bordo, no inicio ninguém gostava dela ,pois achavamos um absurdo uma mulher no, meio daquele monte de homens, (meu marido também foi) as esposas dos 40 homens embarcados ,estavam morrendo de ciúme, e não queriam deixar seus maridos embarcarem nessa vijem,rsrsrsrsrsrsrs, mais um atrazo na partida dessa viajem,além da Capitania dos Portos ,toda hora ,exigindo um documento novo, e enqunato isso a hora ia se passando, e nada da Caravela partir do Pier dos pescadores,rumo a festividade dos 500 anos, meu pai já estava tipo, o comandante Nascimentoda Tropa de Elite, "eu não vou mais, não vai dar tempo, isso é loucura, a responsabilidade do mestre Lauro aumentava a cada segundo, o tempo agora era o nosso maior inimigo……e a minha mãe também ficou com ciúme da Regina, e começou a brigar com papai,kkkkkkkk, aí a mulher do meu irmão também estava P da vida ,e a esposa do outro irmão o Ronaldo (que é deficiente fisico-paralizia infantil) também se manifestou (parecia a grande familia o programa da tv), finalmente partiram ,participaram……. mas eu tenho muito mais detalhes desta loucura que DEU CERTO.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*