O Ministério Público de Cachoeira do Sul ajuizou ação civil pública contra a servidora municipal Rosinha Maria Cunha pedindo a sua condenação por improbidade administrativa. Na condição de diretora do Arquivo Histórico Municipal, nomeada pelo Prefeito Marlon Santos, ela queimou documentos históricos, com dano ao erário, sem prévia triagem e cuidados necessários. A ação, firmada pela promotora de Justiça Giani Pohlmann Saad, pede que o erário seja ressarcido, em valor a ser arbitrado pelo Judiciário. Também que seja aplicada multa à servidora.

A QUEIMA

No dia 4 de março de 2005, Rosinha queimou documentos oriundos dos arquivos históricos da Polícia Civil, sem os necessários cuidados de dispensamento, conforme orientações de arquivologia. Na época, ela ocupava o cargo de diretora do Arquivo Histórico e chegou a ser advertida por servidoras mais experientes para que não realizasse a queima.

Conforme o Ministério Público, a funcionária pública “agiu de forma imprudente e imperita, causando lesão ao erário, mediante prejuízo ao patrimônio histórico de Cachoeira do Sul, em face da conduta de dilapidação de documentos com valor histórico”. Acrescenta a Promotora que “a documentação destruída por Rosinha possuía valor histórico, tendo inegável importância como fonte histórica do século passado e como instrumento de pesquisa sobre o modo de vida, os costumes e o comportamento social da época, além de servir de fonte de consulta a servidores policiais”.

Fonte: Rádio Fandango

MP ajuiza ação pública contra ex-diretora de Arquivo Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*