Desde que passou a ser ligado ao Gabinete Civil, o Arquivo Público de Alagoas vem passando por uma série de ações que visam estruturar e dar condições para que sua função de guardar e preservar livros e documentos relativos à vida administrativa de Alagoas seja cumprida com a excelência necessária.

O secretário-chefe do Gabinete Civil, Álvaro Machado, ressaltou a importância de manter viva a memória de Alagoas por meio da conservação do seu patrimônio histórico. “O Gabinete Civil é um dos maiores produtores de documentos do Estado. Isso é mais um motivo para que trabalhemos de forma eficaz e com toda atenção possível para a reestruturação do nosso Arquivo Público”. Álvaro Machado disse ainda que em 2008 foi iniciada uma forte política de valorização da memória do Estado de Alagoas, através de incentivos e apoio a uma série de ações.

Dentre as ações estruturantes realizadas no Arquivo Público está a implantação do controle da luminosidade artificial no pavimento térreo, visando o racionamento de energia elétrica e prevenção a incêndios; além de combate à infestação de insetos em todo o prédio, visando à preservação do acervo. Foi feita também a implantação da infraestrutura necessária para o acesso à internet e a aquisição de parte do material necessário para melhor funcionamento do Arquivo e melhor suporte ao público.

Em relação ao acesso a informações bibliográficas, importantes para o enriquecimento do acervo do APA, uma das principais ações foi a inserção do Arquivo Público numa base de dados de âmbito nacional, denominada de Biblivre, a partir do qual é possível o intercâmbio de informações com todo o mundo, com livre acesso.

Foram feitos também levantamentos dos periódicos, cujos suportes necessitam de reparos ou restaurações, e, também, uma listagem bibliográfica do acervo existente para posterior catalogação e acesso do público.

Neste sentido, o diretor do Arquivo Público, professor Geraldo da Silva Filho, ressalta ainda a montagem da exposição permanente do acervo bibliográfico que já está disponível, além do recebimento parcial da coleção digitalizada dos Diários Oficiais do Estado, referente ao período de 1912 a 1952. “Arquivos oficiais dispersos e sem identificação não cumprem seu papel social. Aos poucos, a sociedade está tendo acesso a um acervo mais vasto, devidamente catalogado e organizado”, afirmou.

Outra ação de destaque foi a implantação da Comissão Mista, formada por representantes do governo do Estado e de entidades parceiras, com o objetivo de reestruturar organicamente o Arquivo Público e reavaliar a Lei nº 6.236, de 06/06/2001, que instituiu o Sistema Estadual de Arquivos.

Com o intuito de recolocar o Arquivo Público de Alagoas entre as principais instituições do setor no país foram realizados minisseminários ao longo do ano passado, para fomentar o interesse no assunto por parte do público e ao mesmo tempo incentivar discussões sobre os principais desafios da instituição em relação à gestão documental, descrição arquivística e tecnologia digital.

Memórias Reveladas – O APA uniu-se ao governo federal, por meio do Arquivo Nacional, para implantação de uma política pública de integração em rede de acervos e instituições, viabilizando o cumprimento de requisito constitucional de acesso à informação a serviço da cidadania, através do projeto “Memórias Reveladas — Centro de Referência das Lutas Políticas no Brasil, 1964-1985”.

O projeto tem como objetivo central criar e implantar um banco de informações sobre as lutas políticas no Brasil entre os anos de 1960 e 1980, com a utilização de material disponibilizado por cada Arquivo selecionado para participar do projeto. Em decorrência desse projeto, em 2008, o APA realizou o Seminário Memórias Reveladas: Lutas Políticas em Alagoas, quando foi oficializado o recebimento de acervos referentes ao Estado na época da ditadura militar.

Para o secretário Álvaro Machado, a participação no projeto representa um passo importante na reestruturação do Arquivo Público de Alagoas. “Ganhamos credibilidade e apoio para sensibilizar gestores de instituições, bem como pessoas físicas, para reforçar o processo de transferências e doações de acervos relativos ao período das lutas políticas”, destacou;

De acordo com o diretor do Arquivo Público, Geraldo da Silva Filho, “é a primeira vez que Alagoas participa de um projeto nacional, em 46 anos de existência”.

Em decorrência das ações estruturantes do Arquivo Público a sociedade tem dado como resposta uma maior procura à instituição. Para aperfeiçoar o atendimento, funcionários do APA participaram de um curso de Libras, para melhor orientar e acompanhar os usuários em suas consultas e pesquisas. Além disso, foi implantando o cadastro de usuários, que disciplina o acesso às consultas e pesquisas e subsidia o levantamento estatístico sobre o acesso ao seu acervo.

por Agência Alagoas
Governo de Alagoas investe na reestruturação do Arquivo Público do Estado

Uma ideia sobre “Governo de Alagoas investe na reestruturação do Arquivo Público do Estado

  • 6/04/2009 em 22:00
    Permalink

    Meu querido amigo Geraldo,há dias atrás era para ter-lhe enviado esta mensagem parabenizando-o ,juntamente com Gilderto e toda a sua equipe, pelo excelente trabalho que vocês vêm desenvolvendo à frente do APA. .Para mim ,não é surpresa a sua competência pois, já conheço de longos anos nesta caminhada em prol dos arquivos e da arquivologia,mas, quero dar parabéns pelo direcionamento dos trabalhos que estão sendo realizados e pelo apoio que você tem recebido do Dr. Álvaro Machado,desde quando tudo começou quando entregamos àquele relatório na entrevista que tivemos com ele e a Coordenadora do CONARQ,Marilena Leite Paes e a equipe do Forum Pró-Arquivos;pois, aí está o resultado de todas as lutas.Desejo plenas realizações.Um abraço da amiga e arquivista,Maristher Moura Vasconcellos

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*