Os servidores do Arquivo Nacional (AN), reunidos em assembleia no dia 29/8/2012, consideram que:

1. As propostas apresentadas pelo governo, inclusive a de reajuste do PGPE, são fruto da greve unificada dos servidores;

2. A proposta de reajuste do PGPE imposta pelo governo não atende às reivindicações dos servidores do AN, pois
– não resolve a questão das perdas na aposentadoria nem a insegurança financeira causada pela atual estrutura remuneratória;
– não repõe sequer as perdas inflacionárias de 2010 para cá, nem impede novas defasagens nos próximos anos;

3. A intransigência do governo Dilma e a falta de compromisso do ministro Cardozo em apoiar as demandas dos servidores do AN forçam a categoria a permanecer mobilizada e na luta em defesa do Plano de Carreira e da democracia no AN;

4. As práticas anti-servidor da direção do AN, aprofundadas durante a greve, apontam para a urgência do cumprimento da resolução da I CNARQ, no que implica na substituição da direção-geral e criação de critérios democráticos de ocupação do cargo;

5. A união construída entre os servidores do AN e a unidade estabelecida pela Assan, Sintrasef, Sindsep-DF, Condsef e demais entidades de outros setores, demonstrada na greve geral do funcionalismo, são o grande patrimônio construído neste processo de mobilização que servirá de alicerce para a continuidade da luta.

Diante do esgotamento das possibilidades na negociação atual até o prazo de 31/8, seguindo a orientação da Plenária da Condsef, os servidores do AN decidem retornar ao trabalho a partir do dia 3/9/2012, com realização de assembleia e ato público “A volta da União”, às 9 horas, como primeira grande atividade de continuação de nossa mobilização.

Fonte: Assan

Assembléia dos Servidores do Arquivo Nacional (RJ) aprova retorno ao trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*