Eita semana com notícias ruins e que me deixaram perplexo. Foi a tomada de poder pelos fundamentalistas na câmara com o Feliciano para presidir a comissão dos direitos humanos, a falta de humanidade do bêbado que atirou o membro que podia ser reimplantado do ciclista atropelado, o papa gaucho (sem acento) que vem do pampa, só que argentino. Mas o que mais me deixou triste mesmo foi a situação calamitosa do Arquivo Nacional por falta de manutenção.

As reportagens mostram que são problemas que já existiram e que combinaram de acontecer todos no dia do temporal. reportagem Foram atingidos documentos importantes, alguns de origem portuguesa do século XVII, outros que estão sendo agora utilizados pela Comissão da Verdade relativos as ditaduras no Brasil (que coincidência). Daí me pergunto: o que levou a ocorrer isso tudo numa instituição que estabelece o padrão de qualidade de arquivos no país? A Associação dos Servidores do Arquivo Nacional já divulga há muito tempo as falhas da gestão que impactam no trabalho de seus colaboradores, como dá para ver no site da ASSAN

Pois é. Mas vem que cá, não é lá que tem um diretor há mais de vinte anos, diretor este que passou por diversos governos e continua sentado sobre as informações da república? Sinceramente, achei que isso era um motivo para acreditar que estava tudo bem e que as coisas funcionavam e que as reinvidicações era só demarcação política. Se o cara é diretor há tanto tempo, achei que estava tudo sob controle, que as coisas estavam funcionando muito bem e por isso ele continuava diretor do arquivo nacional.

Mas parece-me que o caso é outro. Cão que não late não incomoda. Talvez a longa e inexplicável permanência tenha muito mais a haver com um silencio obsequioso em relação as necessidades da instituição do que significados políticos. Não quero ser injusto, sei que este temporal choveu em poucas horas o que era para ser do mês inteiro, mas mesmo assim não éramos para estar preparados para intempéries e sinistros já a algum tempo? É o que aprendi na faculdade, é o que pego a meus clientes nas consultoria que presto.

Para secar a documentação será necessário ventilá-la bem. Não era hora também de ventilar a gestão do Arquivo Nacional? Dilma, fica a dica.

Está na hora de ventilar o arquivo nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*